quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

 

                                             CANTO PARA LETRADO

 

Intro:6/8

 | Em7| D | Em | D  |Em A|

 Bm/D |Bm C#m|A7 Bm|C#m A7|

Bm| A7 |D |A7|D|

A7                                      D

ESTE CANTO PARA LETRADO

A7                                                        D

FALA DA HISTÓRIA DO QUE NÃO SE FEZ

A7                                      D

JÁ NOS TEMPOS DO PASSADO

A7                              

NASCEU VANGLÓRIA

                            Bm

DE TANTA ALTIVEZ

D7                         Em

S.FRANCISCO XAVIER

              A7

EM JACULATÓRIA

                              Bm

MATOU UM JAPONÊS

D7                                          Em

COLOMBO NUM OVO ESCALFADO

                                  A7

DEU A VOLTA AO MUNDO

                           D

E ERA PORTUGUÊS

 

E NO TEMPO EM QUE VIVEMOS

O PROCESSO HISTÓRICO

BARALHA O FREGUÊS

SOBE O PREÇO A QUE COMEMOS

SOBE O TOM RETÓRICO

MENOS O FIM DO MÊS

O ARISTOCRATA FALIDO

PERDEU A CARROÇA

SOFRE DE ESTRABISMO

ENQUANTO O BURGUÊS DISTRAÍDO

METE O PÉ NA POÇA

                                       D

RUMO AO SOCIALISMO

 

 

 

 

 

REFRAO X2

 

Bm                                         F#m

E ADEUS QUE ME VOU EMBORA

Bm                                        F#m

ADEUS ADEUS MEU AMOR

D7                                               Em7

QUE NESTAS CANTIGAS DE AGORA

                              A7                                   D

CONTINUA EM MODA O VELHO RIMADOR

D7                                               Em

QUE NESTAS CANTIGAS DE AGORA

                               A7                                   D

CONTINUA EM MODA A RIMA À BEIJA-FLOR

 

INTRO

 

 

A GENTE TRABALHADORA

AVANÇA RECUA

ESPERA E CONTRA-ATACA

VAI SABENDO ENGANADORA

A VOZ QUE NÃO É SUA

 É DE VIRA-CASACA

QUANDO A CASACA SE VIRA

TEM O PATRONATO

O SEU DEPUTADO

QUE AFIRMA QUE SOCIALIZA

E EM BOA VERDADE

AUMENTA-LHE O SALDO

 

O POLÍTICO-NEURÓTICO

REVÊ MATÉRIA

TOMANDO CALMANTES

TOMA UM ANTIBIÓTICO

ANA VALÉRIA

À CUSTA DOS AMANTES

ALI AO CENTRO DO CHIADO

TOMAM BICAS DECANOS

CICRANOS CAFÉ DE LAZER

E ESGUEIRADOS NUMA MESA AO LADO

TRINTA MIL CUBANOS

TOMAM O PODER

 

 

 

 

 

REFRAO X2 + INTRO

 

……………..

DE NOVO  O RICO ESTÁ NA BERRA

DE TUDO CONSOME

ESPÍRITO E MATÉRIA

A GENTE POBRE DESTA TERRA

É QUE SE CONSOME

DE FOME E MISÉRIA

E O MINISTRO FAZ CHALAÇA

DIZ QUE NÃO HÁ FOME

RI-SE DELAMBIDO

POIS DA FOME QUE SE PASSA

SÓ RI QUEM NÃO COME

POR JÁ TER COMIDO

 

SÓ BATE O PÉ NA FESTA

QUEM TOCA A CANTIGA E A SABE CANTAR

QUANDO O CANTOR JÁ NÃO PRESTA

BEBE JEROPIGA

E ACABA A DANÇAR

NO MEIO DESTA CONFUSÃO

MORREU ZÉ DO TELHADO

E VIVE QUEM ROUBOU

POIS QUEM SE LIXA É O MEXILHÃO

E JÁ CÁ NÃO ESTÁ

QUEM AQUI CANTOU

 

REFRAO X2 + INTRO

 

 

 

                         Ali esta a cidade

Am7 E9/G# C7/G  D/F# Bb/F Am7 E7

Am7             Dm9/A
ali está a cidade

C6              G9      C
trémulos olhos da noite

                               Am7                       
toda em cimento se ergue

E/G#               C7/G
à tona dos desperdícios

D/F#                Bb/F
sob um arco luminoso

E7                                Am7
como um monstro incandescente

AM/G                 Dm
faz-se de bela deitada

E7                      Am    Gm11 Dm7 E7(2)
espapaçada na lama    

F#m                   C#7

mas sobretudo a cidade

D7+ A7/D D7+
é um som
          

Bm             E7/B     A
toca uma música boa

Gm11                 C#7                  F#m7
p’ra que eu me esqueça da alma ausente

E7                          A
que se perdeu pelas ruas

B05              E7             Am
que eu não me perca também

Dm9/AR
ali está a cidade…

ali está a cidade
rosto de sonos inquietos
estremunhada nas sombras
em contra luz rarefeita
finge-se um anjo da guarda
que se espreguiça felino
por fora assenta o colosso
em carne e osso por dentro

ali está a cidade
mão de mil dedos acessos
que acariciam diáfanos
o corpo dos inocentes
abre perversa o ragaço
à imagem de um paraíso
e aconchegou-se mais bela
e abandonei-me por ela

A Ilha Tom: G C                                       C7 Olhamos tudo em silêncio na linha da praia     Dm7              Ddim               ...